Terça-feira, 12 de Junho de 2007

Sexo

Sexo: Vontade x Obrigação

Existe um ditado, no Brazil que diz o seguinte: "quando um não quer dois não brigam". Acredito que em outras culturas, em outros países deva existir algo similar. Isso quer dizer que nem sempre as vontades das pessoas acabam coincidindo e nesse caso é preciso respeitar a vontade do outro de forma que a convivência entre as pessoas ocorra com um mínimo de civilidade e harmonia.

No caso do sexo não é diferente. Quero dizer que nem sempre os desejos entre parceiros são os mesmos, ou seja, que o desejo, a vontade, a necessidade de um nem sempre será correspondida pelo outro.

Independente da necessidade do homem ou da necessidade da mulher faz-se necessário respeito e consideração entra as pessoas também quanto à sexualidade. Um exemplo muito corriqueiro é à vontade, o desejo, a necessidade maior de fazer sexo que um parceiro pode apresentar em relação ao outro.

Em consultório muitas das queixas sexuais dizem respeito ao exemplo acima. A maioria dessas queixas vem de mulheres que por falta das vontades coincidirem, acabam arrumando desculpas para não se relacionarem sexualmente com seus parceiros ou fingindo na relação. Para estas mulheres o sexo passou a ser uma obrigação, assim elas acabam cedendo aos desejos do outro para evitar conflitos maiores.

Em relação ao sexo não deveria ser difícil dizer Não, simples e diretamente, mas não podemos nos esquecer que a sexualidade sofre influência direta e indireta de diversos fatores já citados em outros artigos. No meu entender, nesse caso, infelizmente as mulheres ainda sofrem resquícios de uma educação culturalmente machista, onde a vontade do homem deve se sobrepor a da mulher, daí a dificuldade de se aceitar a recusa.

Meu conselho para estas é que nenhum relacionamento homo ou heterossexual sobrevive muito tempo a mentiras, desculpas e fingimentos. Ninguém deve se sentir inferior ou culpado por não querer fazer sexo naquele momento, nem deve cair na chantagem emocional do parceiro para simplesmente satisfazer o seu desejo. Excluindo os casos de inapetência sexual, onde existe uma ausência total de desejo que deve ser tratado para minimizar as dificuldades na relação, faz-se necessário um diálogo franco com o parceiro. Simplesmente diga sim ao prazer e não a obrigação.

Diferenças podem e contribuem para o desgaste nos relacionamentos, mas também podem ser construtivas se tratadas com consideração e respeito de forma a fortalecer a união. É importante lembrar que sexo é prazer, é vida, é amor, é entrega. Portanto diga quais as suas vontades, quais os seus limites, seja sincera e explique, se quiser o porquê da sua falta de disposição naquele momento. É simples, e se o relacionamento for sincero, ele ou ela irá entender.

Kelly Cristine Barbosa Cherulli

publicado por Paula Valentina às 22:44

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Meninas: escolham bem a c...

. Alimentos Sexo 2

. Alimentos Sexuais

. Ultima moda no Japão

. vem cá bobinha. Não vou f...

. As 11 mães mais singulare...

. Ciclo Menstrual (Muito Im...

. Castilla la mancha

. Sexo Oral...

. Cartoons!

.arquivos

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.favorito

. Memórias vilacondenses (V...

. Caleidoscópio

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds