Terça-feira, 19 de Dezembro de 2006

A Capacidade de Amar

O amor é mais que um sentimento simples: consiste num conjunto de emoções e atitudes que as pessoas experimentam em relação aos mais diferentes objetos, idéias ou seres vivos, mas principalmente em relação a outras pessoas. Amar outro ser humano é uma atividade que deve ser desenvolvida e aperfeiçoada através de um aprendizado.

Amar possui um significado tão amplo, que se torna difícil defini-lo claramente, podemos, apenas, dizer com certeza que é o sentimento mais puro e verdadeiro que o ser humano possui.

A aprendizagem do amor começa na mais tenra idade, entre mãe e filho. Nesta relação a mãe é a fonte de conforto e proteção, e precisará desenvolver compreensão mais ou menos intuitiva das necessidades do bebê. Essa compreensão surge através da experiência e do reconhecimento dos sinais particulares da criança. Por outro lado, ela não pode satisfazer instantâneamente todas as necessidades do filho, e isso em benefício dele próprio. Este é o início de uma aprendizagem através da qual a criança começa a aprender e aceitar as limitações do mundo exterior.

Muito anos podem se passar até a criança amadurecer a sua capacidade de dar amor. Mas, por fim, a criança supera o seu egocentrismo e deixa de ver as outras pessoas apenas como um simples meio de satisfação de sua própria necessidade. Dar torna-se mais importante do que receber; amar, mais importante do que ser amado.

Durante certo estágio do seu desenvolvimento, o amor pela mãe está misturado a um tipo de paixão sensual infantil. Ela não tem noção da sexualidade adulta, experimenta sentimentos fortes em relação à figura materna, o que leva a entrar numa concorrência com o pai. A menina sente esta mesma paixão pelo pai, e deseja excluir a mãe, que vê como uma espécie de rival.

Estes sentimentos conflitivos, normalmente, acabam sendo superados na medida em que o menino se identifica com a imagem do pai, e a menina, com a da mãe. Uma série complexa de experiências tem que ser vivida até que se chegue a esse ponto.

É muito importante resolver os conflitos da infância para que o indivíduo tenha aptidão para um amor adulto. Os pais precisam demonstrar o seu amor pelo filho, é essencial que a criança se sinta amada, só assim terá capacidade de superar estes conflitos e se tornar um adulto feliz.

Amar é romper barreiras que nos separam de outras pessoas, é encarar a individualidade da pessoa amada tão importante quanto a nossa própria, é multiplicar e encarar os sentimentos e desejos como se fossem realmente nossos. O amor é um nascer constante, é renovação do que sentimos, é colocar para fora um sentimento que muitas vezes tendemos a esconder. Como é bom amar!
publicado por Paula Valentina às 16:23

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Meninas: escolham bem a c...

. Alimentos Sexo 2

. Alimentos Sexuais

. Ultima moda no Japão

. vem cá bobinha. Não vou f...

. As 11 mães mais singulare...

. Ciclo Menstrual (Muito Im...

. Castilla la mancha

. Sexo Oral...

. Cartoons!

.arquivos

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.favorito

. Memórias vilacondenses (V...

. Caleidoscópio

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds